Mascotes dos times italianos: veja a lista completa e origens

Mascotes dos times italianos

Ainda que não sejam tão populares quanto em outros países, os mascotes dos times italianos são parte da história do futebol nacional. A simples existência deles, sejam animais ou criaturas mitológicas, colaborou fundamentalmente para a popularização do campeonato italiano.

Afinal, você consegue pensar na Lazio sem visualizar a águia sobrevoando o Estádio Olímpico? Ou ainda falar do Torino sem imaginar o icônico touro de Turim? Aposto que a resposta é “não” para ambos os casos.

Pois pode não parecer, mas os italianos valorizam muito os mascotes e símbolos. Quase tanto quanto as cores e escudos dos times. Para eles, os personagens acabam ajudando a pintar a identidade dos clubes.

Os mascotes mais conhecidos são:

É bem comum ver torcedores (para o bem e para mal) usando os mascotes para elogiar ou rebaixar o rival.

Outro setor muito interessado no assunto é a imprensa, sobretudo aquela apetecida pelo jornalismo literário. Esta acaba usando as figuras para ilustrar e carregar o artigo com certa dose de romance.

Aliás, essa é justamente a diferença entre o tratamento dado no Brasil e lá, com os mascotes dos times italianos.

Por aqui, olhando as torcidas organizadas, é bem comum encontrarmos versões bizarras dos mascotes, com cigarros, armas e músculos exagerados. Uma clara tentativa de intimidar rivais com esses estereótipos.

Na Itália, por outro lado, a referência é mais “amigável”. Alguns dos personagens têm até nome.

Outro ponto diferencial dos mascotes dos times italianos é a valorização e o orgulho regional. Por exemplo, clubes como Cagliari, Udinese e Pescara adotam como mascote, ou símbolo, as próprias cidades e comunas onde estão situados.

Alguns deles fazem isso até mesmo nos escudos.




Os mascotes dos times italianos

Juventus, a zebra

Mascotes dos times italianos - Juventus
A zebra J (Juventus.com)

A Juventus fez das suas cores a inspiração para escolher a zebra como sua mascote.

De acordo com o Museu Del Marchio Italiano, o animal se tornou símbolo do clube por motivos óbvios: as cores. A escolha foi observada em outros outros clubes bianconeri na Itália.

A decisão, segundo o museu, veio como inspiração em uma arte assinada pelo jornalista Carlo Bergoglio em 1928.

Apesar do famoso apelido de vecchia signora (velha senhora), por ser um dos clubes mais antigos da Itália, a zebra se mantém como mascote oficial.

Inter, a víbora

Mascotes dos times italianos - Inter
Ilustração mostrando a imponente serpente da Inter assustando demais mascotes (Nike)

A Internazionale tem como mascote um “biscione“, que pode ser traduzido como uma espécie de serpente.

O motivo? Nada em especial, apenas uma inspiração no símbolo oficial da família Sforza, classe de governantes no período do Renascimento.

O bicho atende pelo nome de Ambrogio, o mesmo do padroeiro de Milão.

Milan, o diabo

Mascotes dos times italianos - Milan
O diabo Milanello (Milan)

Chamado de Milanello, mesmo nome do centro de treinamento, o diabo é o mascote do Milan.

Alguns blogs de torcedores rossoneri afirmam que a escolha se deve ao fácil uso das cores (preto e vermelho).

Outros, mais românticos, defendem que Herbert Kilpin, primeiro treinador e fundador do time, disse que formaria “uma squadra de diabos” no ato de criação do Milan.

Torino, o touro

Mascotes dos times italianos - Torino
Falar “Toro” e Torino é praticamente a mesma coisa (Gazzetta)

Quem vai à Piazza San Carlo, em Turim, encontra no chão um imponente touro de bronze.

O animal é o símbolo da cidade e também do Torino, que “venceu” a rival Juventus na eleição do mascote. Tanto que, além símbolo, o animal virou apelido do clube.

Na rivalidade entre Juventus e Torino, a seleção do animal que representaria Turim também se mostrou presente. A zebra chegou a ser cogitada, mas o touro venceu a “disputa”.

Roma, o lobo

Mascotes dos times italianos - Roma
O lobo da Roma (TuttoMercato)

Reza a lenda mais simbólica de Roma que os irmãos Rômulo e Remo, fundadores da capital italiana, foram salvos e amamentados por uma loba, quando recém-nascidos.

Eles foram jogados no rio Tibre, mas o animal os acolheu. Por isso, o clube giallorosso da capital se apoderou do símbolo. Enquanto mascote, o bicho virou um lobinho chamado Romolo.

Lazio, a águia

Mascotes dos times italianos - Lazio
A águia da Lazio voando com suas cores (RomaToday)

A Lazio é um dos poucos times que tem o mascote de verdade. Isto é, a águia foi adotada como um símbolo e também virou um animal de estimação.

A ave tem nome (Olympia) e, desde 2000, sobrevoa o Estádio Olímpico antes dos jogos em casa. Ela é uma das mais famosas entre os mascotes dos times italianos.

A origem, acredita-se, está gravada nos primeiros documentos gerados durante a fundação da Lazio.

Napoli, o burro

Mascotes dos times italianos - Napoli
O primeiro escudo do Napoli, à esquerda, e o burro, à direita (Panini)

Originalmente, o Napoli “nasceu” tendo o cavalo como símbolo e mascote. Tanto é que o primeiro escudo de todos, em formato oval, tinha um equino branco em cima de uma bola.

Porém, em mais uma daquelas lendas, isso acabou mudando. Hoje, seu mascote é um simpático burro.

Sua escolha, dizem, surgiu diante da simultaneidade de uma temporada horrível e a popularidade de uma história. Nela, um senhor usava um burro para colher figos durante a noite.

Fiorentina, o lírio

Mascotes dos times italianos - Fiorentina
O lírio vermelho (Flickr)

A Fiorentina não tem propriamente um mascote, mas um símbolo. Conhecendo ou não a história do clube, é fácil de imaginar a relação com o lírio, ou flor-de-lis.

Há quem diga que o clube tentou lançar um grilo como mascote, porém não agradou.

A flor-de-lis é utilizada ao redor do mundo em diversas marcas, de diversos segmentos. Na Itália, ela é famosa por ser também o símbolo de Florença.

Em 2020, o clube pediu aos torcedores que elegessem um novo mascote. Depois de votação, o leão acabou sendo eleito o novo mascote da Fiorentina.

Sampdoria, o marinheiro Baciccia

Mascotes dos times italianos - Sampdoria
O marinheiro da Sampdoria (Panini)

O mascote da Sampdoria é o marinheiro Baciccia.

Gênova é uma das principais regiões portuárias na Itália. Hoje, nem tanto, mas no passado a presença de marinheiros, com roupas e estilo estereotipados, era bem comum por lá.

Olhando o próprio escudo da Samp é possível ver a sombra de um marinheiro, com chapéu e cachimbo. Muito parecido com o desenho do Popeye.

A Sampdoria resolveu não só adotar o marinheiro, como deu a ele um nome. A escolha é um diminutivo de Giambattista, pintor italiano nascido em Gênova, que também é símbolo da área portuária da comuna.

Atalanta, a deusa

Mascotes dos times italianos - Atalanta
O Eclipse de Atalanta, de Charles Meere (Pinterest)

A deusa que dá nome ao clube também é o modo com a imprensa se refere à Atalanta.

Ao olharmos o próprio escudo do clube com cuidado, a silhueta é facilmente visível.

Segundo a mitologia, Atalanta é a deusa da velocidade e da corrida.

Bologna, a máscara Balanzone

Mascotes dos times italianos - Bologna
Ilustrações do Balanzone

O caso do Bologna é um daqueles que o mascote é uma mistura de personagem e objeto.

O Balanzone é uma espécie de máscara bolonhesa muito famosa. Porém, o nome também faz referência a um personagem bem caricato, apresentado acima.

O curioso é que não há muitos registros do uso do mascote no cenário futebolístico. Ainda que o Bologna o adote como símbolo.

Genoa, o grifo

Mascotes do campeonato italiano - Genoa
O grifo do Genoa (Gazzetta)

O grifo, uma espécie de animal com cabeça e asas de águia e o corpo de leão, está no escudo e na identidade do Genoa.

A história do uso da figura mitológica é parecida com a de outros times. No caso, o grifo é símbolo também da cidade de Gênova, então o clube apenas o apossou.

Frosinone, o leão

Mascotes dos times italianos - Frosinone
Lillo, o leão do Frosinone (ParisNews)

O Frosinone é um dos poucos times que leva o mascote para o campo, com aquela espécie de fantasia.

O leão, de nome Lillo, também está exposto no escudo do clube. A título de curiosidade e certa tristeza, o time optou pelo animal após a morte de Chicco, o cachorro que era tratado como mascote no exato significado da palavra.

Cagliari, os 4 mouros

Mascote dos times italianos - Cagliari
A nova bandeira da Sardegna (SoccerStyle24)

Situado na ilha da Sardegna, o Cagliari faz da bandeira da região a inspiração para escolha do seu mascote.

Nela, são vistos 4 mouros com os olhos vendados. As quatro cabeças, divididas pela Cruz de São Jorge, representam eventos acontecidos em guerras na Sardegna entre 1324 a 1479 contra os mouros.

Com o passar do tempo, o escudo do Cagliari mudou diversas vezes, as os mouros continuam de uma forma ou de outra.

Bari, o galo

Mascotes dos times italianos - Bari
Um torcedor vestido de galo no estádio San Nicola

Dentre todos os italianos, o Bari parece ser o mais conhecido pelo seu mascote: o galo.

Diz a lenda que a escolhe foi selada em 1928, por meio de uma votação proposta por um jornal. À época, a alcunha foi bem aceita e se mantém até hoje.

Catania, o elefante

Mascotes dos times italianos - Catania
O mascote do Catania

Praticamente todos já sabem que o elefante é mascote e símbolo do Catania.

Sabe o porquê? A Fonte do Elefante é o principal ponto turístico da região.

Antes, a identidade local estava diretamente relacionada a São Jorge. Porém, isso foi rompido em razão de insatisfação popular com o modo como eram governados.

Comentários

Comentários